O filme "Paraíso Perdido" está em cartaz aos domingos de março na Estação das Docas

20 de março, 2019 - 12h45
O projeto cultural Cine Estação, realizado aos domingos, de fevereiro a setembro, é projetado digitalmente com a mesma tecnologia dos cinemas comerciais brasileiros, dentro do Teatro Maria Sylvia Nunes, localizado no armazém 3 da Estação das Docas.

O filme que está em cartaz no mês de março é “Paraíso Perdido”, da diretora Monique Gardenberg, que conta a estória de Paraíso Perdido, um clube noturno gerenciado por José (Erasmo Carlos) e movimentado por apresentações musicais de seus herdeiros. O policial Odair (Lee Taylor) se aproxima da família ao ser contratado para fazer a segurança do jovem talento Ímã (Jaloo), neto de José e alvo frequente de homofóbicos, e aos poucos o laço entre o agente e o clã de artistas românticos vai se revelando mais e mais forte - com nós surpreendentes.

Ainda da tempo de assistir a esse molodrama saboroso, nos domingos 24 e 31 de março de 2019, sempre em duas sessões, às 16h e 19h. O ingresso custa R$ 12.
 
Sinopse

Nesta saga familiar marcada por encontros e desencontros, as histórias se entrelaçam e revelam pouco a pouco um enredo em que os laços de afeto sustentam os personagens e dão força para que sobrevivam às suas perdas e lidem com seus traumas como abandono, traição, paixão e vingança.

Em meio a canções como “De que vale ter tudo na vida” e “Não creio em mais nada”, o longa-metragem acompanha a trajetória da família liderada pelo patriarca José (interpretado por Erasmo Carlos). Incapaz de superar a perda da mulher amada, ele abandona a carreira acadêmica e abre a boate Paraíso Perdido.

Na trama, após Imã ser salvo pelo policial Odair de um ataque homofóbico, José o contrata para proteger o neto. O policial vivia isolado com a mãe, uma ex-cantora que ficou surda, até entrar em contato com o mundo da Paraíso Perdido. O cantor Angelo lamenta não ter perdoado a traição de sua mulher, que desaparece no mundo sem deixar rastros. Apaixonado, ainda não consegue esquecê-la trinta anos depois. Sua irmã, Eva, está prestes a ser solta após vinte anos na cadeia, por matar o homem que a espancou quando estava grávida de Imã.  O viúvo José faz de tudo para garantir a felicidade do seu clã e conta com a cumplicidade de Teylor.
 

Elenco

Em seu retorno aos cinemas, Erasmo, que nos anos 1970 foi dirigido pelos irmãos Roberto e Reginaldo Farias, é o ex-professor de Literatura José, pai de Angelo (Júlio Andrade) e Eva (Hermila Guedes). Ele tem ainda um filho adotivo, Teylor (Seu Jorge), seu confidente. A família se completa com seus netos Celeste (Julia Konrad), filha de Angelo, e a drag queen Imã, filho de Eva (interpretado pelo cantor e compositor paraense Jaloo, em sua estreia como ator). Em torno desse núcleo, estão o policial Odair (Lee Taylor), sua mãe, Nádia (Malu Galli), o professor de inglês Pedro (Humberto Carrão), o namorado de Celeste, Joca (Felipe Abib), e a misteriosa Milene (Marjorie Estiano), companheira de Eva no presídio.

 
Serviço:

Projeto Cultural Cine Estação – Teatro Maria Sylvia Nunes – Armazém 3 – Estação das Docas

Filme: Paraíso Perdido

Datas e sessões:
24/3 – 16h e 19h (domingo)

31/3 – 16h e 19h (domingo)

Classificação: 14 anos

Ingressos: R$12 (inteira) – R$6 (meia) Venda na bilheteria do Cine, nos dias das sessões, a partir de 15h.